12.11.06

O "Estatuto Ex-Namorada"

Eu, como pessoa pouco... hmm que palavra usar?? bem, eufemizemos a questão e digamos: viajada, pelo mundo do romance e relações amorosas, pergunto-me: como se pode e deve definir, em concreto, o Estatuto Ex-Namorada?

Ora bem, dissequemos a questão: a relação termina e das duas uma: ou as duas partes cortam relações (hipótese 1) ou as duas partes prosseguem com as suas vidas, co-existindo harmoniosamente/semi-harmoniosamente (havendo, evidentemente, espaço para alguma hipocrisia, mas, nevertheless, continuando aparentemente amigos) (hipótese 2).
Se a hipótese 1 se verificar, então não vejo grande problema, dado que o olhar-para-o-lado/chão ou mesmo o sim-nem-sequer-te-estou-a-ver utilizado em conjunto com o é-por-isso-que-te-estou-a-ignorar, se tornam práticas comuns entre as duas partes.
Já no caso da segunda hipótese, a situação modifica-se. Verificou-se em diversas espécies que a parte feminina tem alguma tendência para manter a proximidade física, nomeadamente se foi ela a leavee (as oposed to the leaver). Agora, a questão fundamental coloca-se. Terá a Ex-Namorada o direito de exercer os seus movimentos (i.e. habitualmente, colocações estratégicas de mãos em diversos locais, que não pequem por excesso nem por defeito na intimidade) sobre a outra parte? Ou seja, SERÁ que ela tem o direito de aplicar a cláusula "been there, done that", lançando um ferveroso "muahaha" sobre as partes alheias, que nada podem fazer para evitar a situação (dado que não alcançaram tal nível de intimidade, como o anteriormente experimentado pela parte pecaminosa em questão (a ex-namorada, evidentemente))?

Algum Dr. Phill in the house?


Notas: 1 - como deve ser claríssimo e absolutamente óbvio, (sendo, como tal, esta frase totalmente desnecessária,) eu não represento nenhuma das partes envolvidas, aliás, "toques" não é comigo; 2 - não se pretende ofender ninguém com esta pequena reunião de mini-factos/situações, se se revêem nalgum pormenor, azar o vosso.


3 comentários:

Caroca disse...

ahahahahahahahahahahahahahahahahah !

sofia disse...

A complexidade assunto merecia quase uma tese, my dear.
Que tal a economia e o fim das relações amorosas? Parece-me bem!

Nonetheless, there's some littletiny truth in that.lol

sofia disse...

*do assunto, obviously.